Encontro Infantojuvenil e Entre nós e as palavras com Maria do Rosário Pedreira

10:30 e 14:00

Apresentação da coleção Detective Maravilhas
Destinado ao pré-escolar e ao 1º ciclo do ensino básico


Detective Maravilhas
Coleção juvenil com o formato de aventuras policiais, em que o protagonista descobre sempre uma maneira de ajudar alguém a resolver um problema. Adaptada à televisão.


21:30

Apresentação de Poesia reunida
Público em geral


Poesia reunida
“(…)Estamos perante uma visão do mundo de feição romântica, que concentra no amor a justificação da existência. É certo que o romantismo nunca deixou de influenciar a poesia portuguesa, e que os neo-confessionalismos recuperaram o tema do sofrimento passional, mas as poetas têm-se mostrado reticentes a esse discurso que o feminismo estigmatizou, acusando-o de idealizar a mulher ou mitificar o homem, tornando-os criaturas falsas, alienadas. Em autoras mais novas, o lirismo amoroso, mesmo quando é sugerido, vê-se logo ironizado ou sabotado. Nesse sentido, a poética de Maria do Rosário Pedreira parece deslocada no tempo, e assume todos os riscos «intempestivos» de um aparente confessionalismo sentimental.” (do Prefácio, de Pedro Mexia)

 
Maria do Rosário Pedreira
Maria do Rosário Pedreira nasceu em 1959, em Lisboa. Licenciou-se em Línguas e Literaturas Modernas, foi bolseira do governo italiano em Perugia e aluna do Goethe Institut.
Começou a carreira editorial na Gradiva, seguindo-se a Temas e Debates, QuidNovi e o grupo Leya. Foi diretora de publicações da Sociedade Portugal-Frankfurt/97, editou os catálogos temáticos da Expo’98 e traduziu títulos como O Sistema Periódico, de Primo Levi.Lançou autores como José Luís Peixoto, Valter Hugo Mãe ou João Tordo e tem publicado inúmeros novos escritores, como Ana Margarida de Carvalho, Miguel Real, João Ricardo Pedro ou Nuno Camarneiro.

Começou a sua obra pela literatura juvenil, com as coleções O Clube das Chaves (com Maria Teresa Maia Gonzalez) e Detetive Maravilhas, aventuras policiais que procuram transmitir aos leitores mais jovens valores humanos e culturais. Ambas foram adaptadas à televisão e venderam cerca de um milhão de exemplares.

Publicou o romance Alguns Homens, Duas Mulheres e Eu, e contos dispersos em revistas e antologias, mas é sobretudo conhecida como poeta: A Casa e o Cheiro dos Livros (1996, Prémio Poême e Prémio Maria Amália Vaz de Carvalho); O Canto do Vento nos Ciprestes (2001); Nenhum Nome Depois (2004); e A Ideia do Fim (2012), ano em que publica também a Poesia Reunida (Prémio da Fundação Inês de Castro). A sua poesia, romântica e lírica, usa narrativas curtas, por vezes sequenciais, como se fossem pequenos romances. É frequente o tema da casa como universo onde perduram memórias depois de uma perda. Está traduzida em várias línguas e antologiada em diversos países.

Tem participado em numerosos encontros de escritores em Portugal e no estrangeiro. É ainda autora de letras para fado, tendo escrito para artistas como Carlos do Carmo, Aldina Duarte, António Zambujo, Ricardo Ribeiro, Carminho e Ana Moura, entre outros, e publicado A Minha Primeira Amália, uma biografia de Amália Rodrigues para crianças. Tem um blogue sobre livros e edição, Horas Extraordinárias, que alimenta quase diariamente desde 2010.


Data
2017-04-27 10:30
Local
Biblioteca Municipal António Botto - R. Jardim da República 22
Abrantes, Portugal
 

Todas as datas

  • 2017-04-27 21:30
  • 2017-04-27 14:00
  • 2017-04-27 10:30
 

Powered by iCagenda

Neste sítio são utilizados cookies de forma a melhorar o desenpenho e a experiência do utilizador. Ao navegar no nosso sítio estará a concordar com a sua utilização. Para saber mais sobre cookies, consulte a nossa politica de privacidade.