Entre nós e as palavras com o escritor José Riço Direitinho

Apresentação do livro Breviário das más inclinações da Quetzal Editores (Encontro com a presença do escritor).


José Riço Direitinho

Nasceu em Lisboa, em 1965. Começou a escrever ficção ainda adolescente e a publicar pequenas histórias no suplemento “jovem” do Diário de Noticias. Estreou-se nos livros em 1992 com a publicação de A casa do fim (uma coletânea de contos), a que se seguiram os romances Breviário das más inclinações (1994) e O relógio do cárcere (1997). Entretanto, foi engenheiro agrónomo, tradutor e crítico de vinhos. (Visão, Ler e Independente). Em 1999, foi um dos autores do DAAD (Deutsscher Akademischer Austauschdienst), residindo e escrevendo em Berlim durante um ano. Publicou o livro de contos Histórias com cidades (2001). Mais tarde, fez estadas em residências para escritores Ledig House (Nova Iorque), Passa Porta (Bruxelas), e Ventspils (Letónia). Publicou o livro de contos Um sorriso inesperada (2005). Em 2010, a convite do governo federal da Bavieira, viveu durante um ano na residência Villa Concordia, em Bamberg (Alemanha). Os seus livros estão traduzidos em alemão, castelhano, holandês, italiano e árabe. Tem, ainda, histórias traduzidas em coreano, húngaro, inglês, francês e romeno. Atualmente é colaborador da Ler e crítico literário no jornal Público.

Breviário das más inclinações
«Depois de se ter deitado com um homem, lavava-se sempre numa infusão de folhas de arruda, apanhadas ao luar, e bebia tisanas com sementes de funcho e de sargacinha-dos-montes, para que as regras não lhe faltassem.» Assim começa este romance que narra a vida e a morte (aos 33 anos, como Jesus) de José de Risso, um homem de virtude que nasceu marcado nas costas com um sinal em forma de folha de carvalho. Pelo meio há o enorme lobo de Espadañedo, um lobisomem que descia da serra quando a Lua lhe estava de feição; há receitas de chás e de tisanas que curam do mau-olhado, da má-sina com as mulheres, dos amores infelizes, das galhaduras, dos maus pensamentos; há chás e tisanas que fazem recobrar os ímpetos aos homens; há também Purísima de la Concepción, a muito bonita e alegre viúva galega, de quem se dizia (sem se ter a certeza) que encomendara a morte do marido a um matador de touros andaluz a quem as mulheres casadas chamavam, com disfarçado fervor e muita paixão contida, Niño del Teso.

Plano Nacional de Leitura. Livro recomendado para a Formação de Adultos, como sugestão de leitura.

Público alvo: Geral 

Data
2019-05-23 21:30
Local
Biblioteca Municipal António Botto - Antigo Convento de São Domingos ou Biblioteca Municipal António Botto
Abrantes, Portugal
 
 

Powered by iCagenda

Neste sítio são utilizados cookies de forma a melhorar o desenpenho e a experiência do utilizador. Ao navegar no nosso sítio estará a concordar com a sua utilização. Para saber mais sobre cookies, consulte a nossa politica de privacidade.